terça-feira, agosto 24

A verdade nua e crua

Quando a necessidade de emagrecer bate a porta, o bom senso sai pela janela, e os erros cometidos são tantos e tão grande que além de custar caro, levam a saúde.
 É um verdadeiro vale tudo, desde dos medicamentos que pormetem e nada fazem aos que são vendidos ilegalmente, passando pelas famosas fórmulas - que no meu caso foi recietada por um médico sensitivo, já estava com a receita pronta antes de eu entrar na sala. 
Não dá pra deixar de lado as famosas dietas, aí tem assunto pra anos... tem pra todos os gostos: do leite, de uma só fruta, da sopa, etc, etc... até o tal L.F/N.F (low food/no food) que é uma dieta de 2,4,6,8,10 kcal.. Começa com 10 Kcal e acaba no final da semana com 20 Kcal. É totalmente proibido comer alguma coisa sólida.É válido somente sucos,mais nada. E a semana "Sem Comida",a qual perde-se uns cinco kg. Dá pra acreditar?
E nada disso altera um fato, que a quantidade de células de gordura não se altera!
De acordo com um estudo feito por pesquisadores do Instituto Karolinska, em Estocolmo, na Suécia, revelaram que o número de células adiposas (adipócitos) é definido até os 20 anos. Depois dessa idade, nada é capaz de diminuir essa quantidade – nem a mais espartana das dietas. Quando uma pessoa emagrece, os adipócitos apenas perdem volume, mas continuam lá. Não é só isso. Todos os anos, 10% das células adiposas são renovadas. E as novas têm uma incrível propensão para aumentar de tamanho. 

Tá bom pra vocês, mas espere tem mais.

Liderada pela cientista Kirsty Spalding, a equipe do Instituto Karolinska analisou o ciclo de vida e morte dos adipócitos de 742 pessoas, homens e mulheres com os mais variados perfis. Em 687 delas, os pesquisadores fizeram biópsias do tecido da região abdominal. Ao compararem esses resultados com estudos similares feitos anteriormente em crianças e jovens, conseguiram definir a idade-limite para a proliferação das células adiposas. Foram também avaliados exemplares de tecido gorduroso de vinte voluntários obesos, submetidos à cirurgia de redução do estômago. As amostras foram colhidas antes da operação e dois anos depois. Apesar do emagrecimento à força e do intervalo de tempo entre uma análise e outra, o número de células adiposas não variou quase nada. Ficou ao redor dos 80 bilhões.

No casa da maioria de nós, o estrago já está feito, passamos dos 20, mas apesar de todas essas verdades pavorosas, o esforço de uma alimentação equilibrada pode resultar em mais saúde de forma geral. O que vai acontecer é que as celulazinhas fofinhas vão ficar menos fofinhas. . sequinhas se Deus assim permitir.

texto azul daqui