sexta-feira, julho 13

O que funciona pra mim, pode funcionar pra você!

Hello Dools


As primeiras vezes são sempre marcantes, umas difíceis, outras inesquecíveis, algumas dolorosas. Refazer um caminho tem suas vantagens, já se tem conhecimento do que virá. 
A volta a um estilo de alimentação saudável é mais ou menos assim. Isso se a gente não contar com um fator: ANSIEDADE.
Ninguém é gordo, ou tá com uns pneuzinhos por que não come, e se é compulsivo, come mesmo, sem dó e o que é pior sem fome. É claro que cada um vai ter que encontrar seu cominho pra sair dessa situação. Para mim algumas coisas ajudam:

  1. Manter a mente e as mãos ocupadas. Sempre que tô numa fase "criativa" -gosto muito de trabalhos manuais- esqueço de comer feito uma maquina de triturar. Como muito menos, nos horários certos. De quebra ainda me realizo fazendo uma coisa que eu gosto.
  2. Ter um grande motivo. No meu caso, ano que vem é a formatura do meu filho, não quero aparecer nas fotos feito um colchão, uma cabana, um botijão de gás. Manter isso em mente me ajuda na hora do pânico.
  3. Fazer alguma atividade física que eu goste. Nada de ficar lutando contra mim mesma, nada de forçar a situação e ir pra uma aula de   boxe se amo yoga. Se gosto de yoga, yoga será!                                                                                         
  4. Sentir-se linda mesmo enquanto fofa. Pessoas gorduchinhas tem cabelo, unhas, pele, olhos e bocas merecedores de cuidado e capricho. Se o corpo não tá aquele espetáculo, não adianta piorar  tudo e deixar de cuidar dos detalhes. Acredite, a atitude é 99% da beleza!
  5. Pelo amor de Deus, bom senso com as roupas. Respeite seu tipo físico e dê uma ajuda com roupas adequadas à ele. Às vezes, a situação piora com a roupa errada, e nem precisa estar acima do peso pra essa regra valer. Lembre-se que o padrão magérrimo de corpo é tão difundido, por que é muito mais fácil cobrir uma caixa do que uma bola, quanto menos curvas a mulher tiver, menos problemas na hora da costura.
  6. Ter em mente uma meta possível. Essa ideia de que todo mundo "tem" que ser magrinha,no menor tempo possível, não importa a que preço, não ajuda em nada, só frustra ao longo do tempo. Respeitar a natureza do próprio corpo e aceitar-se é fundamental. Por menos peso que eu tenha, nunca serei "uma tábua". Coxas e quadril sempre me vencerão nessa luta. 
  7. Ser feliz hoje!! Pensamento positivo em qualquer situação...sempre.  
  8. Busque inspiração. Atualmente, gosto muito   de ver Brooke Elliott( Jane Bingum, uma advogada fora do peso e insegura, tem sua vida mudada quando o espírito da modelo Deb (Brooke D’Orsay), uma loira fútil e burra, acaba reencarnando em seu corpo.)na série Drop Dead Diva. Muito bom! é legal ver grandes emissoras darem chance a boas atrizes e ainda quebrarem um pouco o padrão.           
No mais é viver um dia de cada vez, que não adianta reclamar do passado,nem preocupar-se com o futuro e esquecer o presente, que não deve ser chamar 'presente' à toa. 



Carpe diem!!

Um comentário:

Enigmatica Gothic disse...

Adorei seu post, também estou na luta para emagrecer, pois quando tive meu filho ocorreu um disturbio hormonal, meu cabelo caiu, espinhas no rosto, estresse, comecei o tratamento com anticoncepcional em dezembro e só agora começo ver resultado, me concentrei muito nos trabalhos manuais, para diminuir o estresse...
Gosto muito do seu blog, me ajuda quando estou querendo desistir de tudo e chutar o balde.
Parabéns!!